NETVIAGEM

Como transformar uma viagem em duas | Saiba tudo sobre o stopover

Você é desses que acham que o mundo é grande demais pro tamanho das nossas férias? Eu sou. Mas o meu faniquito de querer viajar pra todos os lugares ao mesmo tempo diminuiu bastante quando descobri uma coisa linda chamada stopover.

Fazer um stopover é embutir uma viagem bônus no meio da viagem que você tinha planejado originalmente. É uma graça que as companhias aéreas fazem pra gente quando o voo tem conexão.

viagem2em1

Vou dar um exemplo: eu voei pra Istambul com conexão em Roma. Eu poderia parar no aeroporto de Roma, trocar de avião e seguir logo pra Istambul ou aproveitar o stopover, ficar uns dias em Roma e pegar o voo pra Istambul só depois de tomar um gelatto na Piazza Navona. O que você acha que eu fiz? O melhor é que a companhia aérea costuma cobrar só uma taxa de aeroporto por essa esticada na viagem. As vazes o valor nem é cobrado, depende muito de cada caso. Na minha viagem, eu não paguei taxa mas é lógico que paguei pelo meu gelatto, pelo hotel e por todos os pratos de macarrão sensacional que eu comi em Roma. Ainda assim, somando tudo, a parada na cidade eterna acrescentou pouca coisa no preço final da viagem e compensou tanto que agora eu só quero viajar assim.

Quem me ensinou a fazer stopover foi a Marina, a agente de viagem oficial do blog que eu já apresentei aqui. Eu disse pra ela que queria um voo direto, mas ela encontrou um mais barato com conexão e me ofereceu essa viagem 2 em 1. Quando decidi escrever esse post, a Marina me explicou que as companhias aéreas têm conexões obrigatórias chamadas HUB no seu país de origem. Se você for voar de Air France para a Itália, terá parada obrigatória em Paris. Se for voando Iberia, terá que fazer conexão em Madri ou Barcelona. Nesse meio do caminho você ganha o direito a ficar em média 3 noites (também depende do caso) pra poder conhecer uma cidade a mais na sua viagem.

Stopover love

O stopover também pode ser uma ótima pedida pra você fazer uma pausa em viagens muito longas e chegar menos morto de canseira no seu destino final. Vai pra China? Desce ali na África do Sul, dorme um pouquinho, faz um safari e depois segue viagem.  Tá de malas prontas pra Bali? Que tal parar em Abu Dhabi pra dar uma voltinha.

Apesar de não ser tão comum, dá pra fazer stopover em viagens nacionais também. As possibilidades são infinitas. Fazendo cada viagem valer por duas, suas férias rendem bem mais e você paga menos do que pagaria em duas viagens separadas. É uma boa, né?

Deu vontade incluir um stopover nas suas próxima férias? Chama a Marina que ela te ajuda. Pode ligar pra (41) 9675 5881 ou mandar e-mail pra marina.pr@tourlinesviagens.com

Beijo e boa viagem.

Uma agente de viagem pra chamar de nossa

Deixa eu apresentar uma pessoa:

Marina Schmidt

Daqui pra frente, você vai me ver falar muito da Marina por aqui. Ela é minha agente de viagem e agora também é consultora oficial do blog. Ou seja, ela é nossa! A Marina vai tirar dúvidas, contar sobre promoções e sobre os destinos e hotéis mais bacanas, deixar todo mundo por dentro das tendências de turismo e dar um respaldo profissional aqui pro Outros Roteiros.

Pra você entender da onde ela surgiu, a senhorita Marina Schmidt é amiga da minha irmã desde que as duas eram pirralhinhas. Ela trabalha com turismo há 5 anos, é cheia de cursos legais no currículo (de sommelier inclusive) e é ela quem me ajuda a planejar e tirar minhas viagens do papel. Além de tudo isso, ela é gente boa demais.

Recentemente, ela abriu a própria agência de turismo, uma franquia da Tourlines Operadora, que tem acordos com fornecedores muito incríveis dos quatro cantos do planeta. Um belo dia, a gente pensou: por que não unir nossas forças para dominar o mundo? hehe Aí pronto, firmamos nossa parceria, que está oficialmente consolidada, a partir de agora.

A Marina já está preparando conteúdos exclusivos pra eu começar a postar em breve. Então, aguardem que daqui a pouco tem novidade!

Pra conhecer a agência dela é só clicar aqui. Se quiser, você pode também mandar e-mail pra marina.pr@tourlinesviagens.com.br.

Beijos e até.

:)

 

 

 

Museu do Açude, Rio de Janeiro | Arte e natureza num passeio só

Já ouviu falar no Museu do Açude? Faz pouco tempo que eu descobri que ele existe e pra mim foi um verdadeiro achado. Fica na Floresta da Tijuca, lá Alto da Boa Vista e abriga um pedaço da bela coleção de arte do Castro Maya, que era o dono da propriedade e deve ter sido o cliente mais amado pelos donos de fábrica de azulejo de todos os tempos. Sério, a azulejaria tá pra todo lado e é uma coisa linda de se ver.

Azulejos Museu do Açude

Azulejos Museu do Açude

Além das peças de cerâmica, dos painéis que ficam dentro e fora de casa e os bancos decorados nos jardins, no Museu do Açude você vai encontrar arte oriental, arte europeia e arte brasileira.

Já as instalações de arte contemporânea são um show à parte e ficam literalmente no meio do mato.

Helio Oicitica museu do açude

piotr uklanski museu do açude

P1010716

passarela eduardo coimbra museu do açude

Demais, né?

É um lugar perfeito pra apreciar as obras e curtir a natureza sensacional do Rio de Janeiro ao mesmo tempo.

Na recepção, vale dedicar uns minutinhos pra saber quem foi Raymundo Ottoni de Castro Maya. A história dele é legal e vai deixar sua visita mais interessante. Ele nasceu em Paris, em 1894 e se tornou empresário, patrono das artes, esportista e naturalista e também era festeiro. Mega festas de réveillon e outras festas temáticas rolaram no Açude. Imagina uma pool party aqui, rs:

piscina viuva porcina museu do açude

Essa piscina foi usada como cenário na novela Roque Santeiro, que foi super famosa nos anos 80. Era aí que a Viúva Porcina relaxava nos dias de calor. E isso é só uma das curiosidades do lugar.

Ah! Uma coisa importante é que o Museu  não tem restaurante, café, lanchonete, nada disso. Então, é uma boa levar um lanchinho pra beliscar. Dá até pra fazer um pique-nique, mas só com autorização, tá?  Você pode conseguir a sua clicando aqui .

Museu do Açude picnic

O Museu do Açude fica aberto das 11h às 17h e  fecha durante terças-feiras.

Pra entrar você paga só R$2,00 e se for numa quinta-feira, entra de graça, olha que beleza!

acesso não é dos mais fáceis, mas compensa o esforço. O melhor jeito de ir é de carro (o estacionamento lá é grátis) ou com um taxista gente boa que não vai te deixar na mão na hora de voltar. Foi o que aconteceu com a gente e os seguranças do museu contaram que isso é bem comum. Como o lugar não é muito conhecido, mesmo os táxis de aplicativo podem se perder e desistir da corrida.

Anota aí o endereço pra jogar no Google Maps: Estrada do Açude, 764, Alto da Boa Vista, Rio de Janeiro. A entrada tem é essa cara aqui:

entrada museu do açude

Museu do  Açude vale muito a pena pra quem quer fugir dos pontos turísticos cariocas convencionais. Eu pretendo voltar, com certeza.

É isso!

Beijo e bom passeio.

ps: as fotos com definição xué são do meu celular. As bonitas são da minha amiga Cacá. ;)

5 dicas simples pra quem quer viajar mais

Este ano já passou da metade e eu ainda tô em dívida com a minha resolução número 1 de todo réveillon: viajar mais. Seja por falta de tempo, de dinheiro ou de vergonha na cara pra arrumar tempo e dinheiro (hehe), eu sempre acabo viajando bem menos do que gostaria. Se esse também é o seu caso, vem cá que a gente resolve isso junto. Dá pra começar hoje mesmo a deixar tudo no jeito pra facilitar a próxima viagem, seja ela qual for. Olha essas dicas aqui:

 

Poupança Viagem

Isso é o básico do básico. Se você gosta tanto assim de viajar, já tá na hora de dedicar um tiquinho que seja do seu dinheiro pra isso. Determine um valor mensal e tente manter-se firme no propósito. Quando suas férias chegarem ou um boa oportunidade aparecer, você vai ter uma reserva pra comprar passagem, pagar hotel, comer num restaurante legal, comprar imã de geladeira pras suas tias e fazer o que der vontade, sem se preocupar demais com o quanto isso vai pesar no bolso na hora em que você desembarcar de volta.

passaporte e visto

Parece bobagem se preocupar com isso se você não está de viagem marcada, mas pode apostar que não é. Manter sua documentação sempre a postos e dentro dos prazos de validade automaticamente liga o seu radar de chances pra viajar e ainda poupa uma trabalheira danada na hora em que você efetivamente resolver embarcar pra fora o país.

Alguns países exigem passaporte válido por até 6 meses contando da data da sua saída. Então, se você ainda não tem o seu ou se deixou vencer, já pro site da PF pra botar tudo em dia. O link tá aqui.

Quanto aos vistos, é melhor ser um pouco mais criterioso e providenciar o seu quando você já tiver pelo menos uma ideia da data da sua viagem. A não ser no caso do visto americano pra turismo. Como vale por até 10 anos, pode ser uma boa já tirar.

Clique aqui pra ver uma lista de países que exigem vistos para brasileiros. Vale conferir.

foto 2Você saiu pra almoçar hoje? Abasteceu o carro? Comprou um sapato? Fez supermercado? Cada vez que você usa seu cartão de crédito dá pra acumular pontos que podem ser convertidos em milhas pra viajar. Se isso não é motivo pra você desenvolver uma compulsão por milhas eu não sei o que é. Talvez você já esteja inscrito automaticamente no programa de relacionamento do seu cartão, mas não custa ter certeza, né? Procure na sua fatura que lá estão os pontos que você tem. Se não tiver nada, já pro site do seu banco ou da administradora do seu cartão, que lá eles explicam tudo direitinho.

Quando for viajar de avião, lembre-se de logar no site da companhia aérea com o seu número do programa de milhagem. Fazer check-in online e comprar passagem flex são coisas que costumam render milhas a mais.

Uma dica boa que o Henrique do Blog Rumo me deu foi me inscrever nos programas de fidelidade de posto de gasolina. Ajuda muito.

Daqui a pouco seu banco de milhas fica rico e você pode começar a aproveitar. Poucas coisas são tão boas quanto a sensação de viajar de graça. Vicia mesmo, você vai ver.

Ah! Atenção pras datas de expiração dos pontos, porque é muito fácil esquecer e ver suas milhas desaparecerem de um dia pro outro. Já aconteceu comigo. Esses dias. E doeu.

promoção passagens aéreas

Elas são mais frequentes do que a gente imagina. Outro dia mesmo tinha passagens pra Europa por R$ 317 ida e volta. IDA-E-VOLTA. Dá pra acreditar? Vai que aparece uma dessas bem na época em que você tá livre pra arrumar a mala e sumir no mundo,  nem que seja por uma semana.

Para instigar meu espírito de viajante por impulso, eu gosto de seguir o @passagensimperdíveis e o @melhoresdestinos. Eles dão notícias de passagens promocionais em primeira mão e encontram cada pechincha que é de deixar qualquer viajante doidinho da silva.

As companhias aéreas costumam mandar e-mail nas temporadas de mega-promoções também, então não saia apagando todo e qualquer e-mail sem ler.

Pra quem prefere viajar com agência de turismo, uma boa dica é seguir sua agência nas redes sociais e pedir pro seu agente ficar e olho e avisar sempre que aparecer uma promoção legal. Muitas vezes eles também conseguem boas tarifas em hotéis e facilitam o pagamento pra você.

viagem de carro

Se você mora no Brasil, é bem provável que exista algum lugar bonito e interessante pertinho da sua casa e você nem tchum. Tire um dia pra fazer uma pesquisa e descobrir destinos que você pode conhecer num fim de semana ou, quem sabe, num bate-volta. De carro, de ônibus, até de bicicleta tá valendo. O que tem de praia, cidadezinha charmosa, cachoeira, serra e chapada por aí não é brincadeira. Fora as capitais que têm museus, pontos históricos e parques que merecem a sua visita.

É isso! Bora por em prática?

Beijo e boa viagem.

Música de rua no Chile | Conheça a banda RIM BAM BUM

Gosta de música? Tá pensando em ir pro Chile? Então, deixa eu te apresentar esta galera aqui:

música de rua no Chile rim bam bum

RIM BAM BUM é uma banda de Santiago do Chile que toca música do tipo mais animado que pode existir, usando sopros e percurssões. Eles começaram em 2009, escolheram o nome em 2011 e, desde então, se apresentam por ruas, praças, palcos e onde quer que possa aparecer uma plateia. São 19 integrantes entre músicos, técnicos e caveira dançarina. Olha que demais:

Eu fui pega de surpresa por eles na saída do metrô, há alguns meses, e tive que parar pra ouvir. Pra mim foi uma daquelas pequenas coisas quem fazer o dia valer a pena, sabe? Não sei porque demorei tanto pra falar da banda aqui, mas agora que o frio chegou a a brasilierada fica maluca pra passear pelo Chile, eu não poderia deixar de postar.

1016326_547619135285686_136922790_n

Na época do carnaval, eles estiveram pelo Rio a convite de um brasileiro que os viu tocar em Santiago. No ano que vem, pretendem voltar. Mas se até lá você quiser saber onde encontrá-los diretamente na terra natal, é só clicar aqui e curtir a página da RIM BAM BUM no Facebook. Tem o Tumbrl aqui e aqui o canal do Youtube também. Vale a pena dar uma olhada.

1958249_656057897775142_1224157709_n

RIM BAM BUM

Tagged , , ,

Floripa | Trilha da Costa da Lagoa

Não sei de você, mas eu adoro uma trilha. Acho bom demais andar no meio do mato e morrer de cansaço pra depois chegar num lugar lindo e ver que valeu a pena.  Quem me ensinou a gostar disso foi esta distinta figura aqui, ó:Image

Ele esteve em Santa Catarina em março e ficou uns dias em Florianópolis. Como eu passei férias de família e verões sensacionais em Floripa, mas há um bom tempo não apareço em terras catarinenses, perguntei pro meu pai se ele tinha voltado com alguma novidade, algum passeio que não fizemos por lá juntos. Ele me respondeu assim “tem uma trilha…” e o relato acabou virando esse post. Manda ver, pai:

Se você curte uma boa caminhada e ama a natureza, aí vão algumas dicas de um programa alternativo quando visitar Florianópolis/SC, essa maravilhosa cidade, que figura no topo do ranking das cidades brasileiras preferidas pelos turistas. A Lagoa da Conceição é um dos pontos mais bonitos de Floripa e exite uma trilha que margeia a costa norte e oferece uma visão diferente do local.

Trilha Lagoa da Conceição Floripa

Como Chegar:

Caso esteja de carro, vindo  do centro da cidade, pela SC-404, pode estacioná-lo antes da ponte principal que separa as duas partes, no  Centrinho da Lagoa e caminhar até o início da trilha, no Ponto 3 das paradas dos barcos, que fazem o transporte regular de nativos e turistas da costa norte da lagoa. Alternativamente, você pode seguir de carro até este mesmo ponto.

É muito fácil; basta tomar a Rua Rita Lourenço da Silveira e seguir as ruas que margeiam a lagoa até lá, onde  também você estaciona o carro (há um estacionamento privado no local por R$15,00). Além disso, qualquer pessoa das proximidades conhece e fornece as informações necessárias para você chegar até lá.

Se estiver de ônibus, vá de 362.

mapa lagoa da conceição

Começando 

Neste ponto, se prepare para entrar no paraíso. A trilha é classificada como de dificuldade semi-pesada, ou seja, caminhada em desníveis de longo percurso. A duração média é de 2 horas em caminhada direta, mas, com certeza, vale a pena gastar um pouco mais de tempo, pois você não vai resistir em parar inúmeras vezes, para apreciar a paisagem e tirar suas fotos. Obviamente, você deve estar preparado: roupas leves (no verão), um bom tênis de caminhada, um lanche, algumas frutas, protetor solar e muita água.

Apesar da classificação “semi-pesada”, a trilha não é tão difícil, principalmente para trilheiros experientes. Existem, é claro, alguns trechos em aclive/declive com “pedras no caminho”, literalmente. Contudo, na maior parte, o percurso é plano, largo e calçado com pedras em pequenos trechos.

trilha costa da lagoa

Não existe a menor chance de você se perder. Nas poucas bifurcações pelo caminho, existem placas informativas e de sinalizações. Além disso, você tem a lagoa como referência: sempre a sua direita. Você pode também, contar com os moradores das inúmeras casas (de nativos ou de veraneio) que existem ao logo da trilha.

Curta o caminho de natureza exuberante, com o pouco que resta de mata nativa. Se der uma fomezinha, você pode contar (no mês de março) com os inúmeros pés de goiabas, de araçás, de pitangas, de maracujás, e outras frutas silvestres.

Aprecie as árvores floridas, as borboletas multicoloridadas, os pássaros e demais animais que, por ventura cruzam seu caminho (ou será que é você que está invadindo o espaço deles?).

Se tiver tempo, você pode dar uma desviada do caminho principal e caminhar até um engenho de farinha, que tem atividade durante o mês de julho.

Dê uma paradinha no Sobrado da Dona Loquinha, construído por escravos, mais ou menos, em 1780.

Quase no final do percurso, vale a pena das uma desviada de uns 800m até uma cachoeira, que infelizmente estava com pouca vazão devido ao longo período de estiagem na região, na época que fizemos a caminhada.

Trilha lagoa da conceição floripa

Fim da linha

Pronto: chegamos ao Canto dos Araçás – povoado que fica nos pontos 16 e 17 dos barcos. Ali existe um pequeno comércio e vários restaurantes, com decks avançando para a lagoa, onde você pode descansar.

Se estiver com fome, tem as opções, entre outras, de peixinho frito com pirão e a famosa sequência de camarão – o prato mais famoso da lagoa e de Floripa.

bares lagoa da conceição norte

Hora de voltar. Que tal um passeio de barco?

Se não estiver muito cansado, coloque a mochila nas costas e faça o caminho de volta. No entanto, recomendo pegar um dos barcos que fazem o transporte rotineiro da costa, ali mesmo em dos decks dos restaurantes. Eles passam a cada intervalo, aproximado, de 30 minutos e custam R$ 7,00 por pessoa.

Curta a bela vista da costa na viagem de volta, que dura cerca de 40m até o Centrinho da Lagoa.

Barco pela Lagoa da Conceição

Ah! Não se esqueça de avisar ao piloto do barco que pretende desembarcar no Ponto 3, caso tenha deixado o carro por lá, pois, caso contrário, ele pode passar direto, uma vez que só atraca nos pontos onde há demanda.

Tagged , , , , ,

Ih! Choveu | Saiba que fazer no Rio quando não dá praia

Imagina só: você de malas prontas pro Rio de Janeiro, sonhando com longos dias de praia,  sol e céu azul. Imaginou? Agora, já pensou no que você vai fazer se chover? Longe de mim jogar um balde de água fria no seu sonho dourado de eterno verão carioca, mas ao contrário do que muito turista pensa, no Rio chove, sim. Eu já cheguei aqui várias vezes debaixo de chuva e só vi a cara no sol na hora de embarcar de volta pra casa.Chuva no Rio

Caso algo do tipo aconteça com você, nem pense em ficar trancado no quarto do hotel ou se enfurnar dentro de shopping, pelo amor de São Sebastião. Vem cá que eu te mostro como aproveitar dignamente o seu tempo no Rio, mesmo se você for obrigado a trocar seu guarda-sol por um guarda-chuva. Já aviso que são programas culturais. Mas, mesmo que você não curta esse tipo de passeio, vale a pena porque rende fotos lindas.

Então tá. Pra começar, esqueça a praia vá passar um dia no centro da cidade. Sim, o Centro do Rio é onde está a maior concentração de atrações turísticas com paredes e um teto pra manter a chuva longe da sua cabeça. Entre elas, minhas preferidas são essas daqui,ó:

CCBB

O Centro Cultural Banco do Brasil fica num prédio bonitão de mais de 130 anos e sempre tem alguma exposição legal pra você conferir. Lá dentro também tem um teatro e um cinema, além da exposição permanente sobre o dinheiro, que é bacana de ver. Se a chuva não estiver muito cruel, na saída dá  pra passar pela rua do Ouvidor, comer uma feijoada e ouvir o sambinha que rola sábado sim/sábado não. Ah. O CCBB fica fechado nas terças-feiras, tá? Ali pertinho tem a casa Brasil França e o Centro Cultural dos Correios que também merecem uma visitinha.

Real Gabinete Português de Leitura

Eu era criança quando entrei lá pela primeira vez e tive certeza que tinha sido transportada magicamente pra biblioteca da Bela e a Fera (fã dos clássicos Disney falando. Me julguem.) Mas não é uma coisa linda de doer? O Real Gabinete Português de Leitura  foi inaugurado pela Princesa Isabel em 1837 e foi onde Machado de Assis conduziu as primeiras sessões solenes da Academia Brasileira de Letras. Demais, né?

Biblioteca Nacional Rio

É a maior biblioteca da América Latina e uma das 10 maiores do mundo. Ela foi fundada por D. João e aberta ao público em 1814. Hoje, o acervo da Biblioteca Nacional é de 9 milhões de itens. Só de entrar lá você já fica mais culto e inteligente, rs.  Além da monstruosa quantidade de livros, o lugar impressiona também pela arquitetura que mistura neoclássico com art nouveau e outros estilos que eu não sei identicar, mas sei achar bonito ; )  A Biblioteca Nacional também tem visitas guiadas, clica aqui pra ver.

theatro municipal rio de janeiro

O Theatro Municipal do Rio de Janeiro é de cair o queixo. Ele foi inaugurado em 1909 e passou por um reforma em 2010 que deixou tudo tinindo de novo outra vez. O prédio é todo cheio de lero lero por dentro e por fora e, além do palco esplendoroso,  tem quadros, afrescos e vitrais muito, muito bonitos. Quem quiser conhecer e ainda aprender sobre a história do teatro pode aproveitar as visitas guiadas (pra saber mais, clique aqui).  Mas, se eu fosse você, daria uma conferida na agenda deles antes de ir. Vai que tem algum espetáculo em cartaz no dia em você resolver aparecer por lá, né? Aí sim sua visita vai ficar emocionante de verdade.

 Confeitaria Colombo

Nada melhor pra fechar seu passeio pelo Centro do Rio com um café na confeitaria mais famosa e mais linda do Brasil. A Confeitaria Colombo foi fundada em 1894, pensa só.  Os doces são especialidades da casa, obviamente, e eu queria morar lá dentro pra experimentar cada um  com calma. Mas eles também servem almoço e têm um salgado que se chamado Maravilha de Camarão que tem uma história boa. No 1º de abril, a Confeitaria fazia maravilhas falsas recheadas com algodão e vendia para seus clientes enganarem os amigos. Pena que não tem mais isso.

Outra coisa legal é que lá tem um monte de latas, caixas de biscoitas e mais lindezas pra levar de lembrança. As mães ficam doidinhas de alegria.

Confeitaria Colombo

fotos: Wagner Pinheiro.

E aí? Viu que dá pra passar muito bem seu tempo no Rio, mesmo com água caindo do céu sem parar? Então deixe a preguiça de lado e vá zanzar na rua.

Ah! A Zona Sul também tem lugares legais pra conhecer em dia de chuva, mas isso vai ficar pro próximo post.

Tagged , ,

Um brinde a Paris, com uma boa cervejinha | People’s Drugstore

paris beerÉ bom demais descobrir uma dica nova de viagem, você não acha? E quando ela chega de presente, então, é melhor ainda. Por isso que eu achei lindo quando recebi da Lola Machado um post contando um segredinho que vale ouro pra quem gosta de Paris e de cerveja.

Vai lá, Lola! Conta tudo pra gente.

guest post

Nem só de vinhos e champagnes se faz a boemia parisiense. Depois de passar horas batendo perna por Montmartre, que tal uma pausa para a breja?

People´s Drugstore Paris beer in Paris

A People’s Drugstore é uma lojinha de cervejas artesanais no coração do bairro, pertinho da Sacre Coeur, que vende todas as garrafas de 600 ml por 6 e long necks por 3, independente do tipo de fabricação, marca e qualidade. Máximo, né?

beer in Paris

O único problema é que o lugar é bem apertadinho. Tem uma mesa com jogo de xadrez (parece que os donos amam!), mas o negócio mesmo é comprar e vazar tomar em outro lugar. Então, a super extra dica é comprar e pedir pra gelar a garrafa naquelas máquinas que gelam em 2 minutos e ir aproveitar os happy hours na na escadaria da Sacre Coeur ou em qualquer place de sua preferência.

beer in Paris

E aí? Deu vontade de passar por lá e tomar uma?

People´s drugstore paris

Como chegar:

Desça no metro des Abbesses, caminhe a favor do trânsito até a Rua Martyrs, vire à direita, logo logo no número 78.

Mapa Peoples Drug

beer paris

Pronto, agora sou eu (Gabi) de novo. Adorei a dica da Lola. E você?  O que achou? Se quiser vasculhar um pouco sobre a People´s Drugstore, o Facebook deles tá aqui.

: )

Passeio de barco pela Baía de Guanabara

Poucos lugares desse planeta combinam mar e montanha tão sensacionalmente bem quanto o Rio de Janeiro, né? É por isso que quem chega por aqui fica doido pra ter uma vista panorâmica da Cidade Maravilhosa.  Pra isso, o que quase todo mundo faz  é subir as montanhas, que são incríveis, é verdade. Mas hoje você vai aprender um jeito baratex de ver o Rio de Janeiro por um ângulo diferente.

Rio

No Passeio Marítimo do Espaço Cultural da Marinha, você percorre a Baía de Guanabara, vê o Cristo, o Pão de Açúcar, a Ilha Fiscal, passa por baixo da ponte Rio-Niterói, vê o Museu de Arte Contemporânea, fortalezas e navios de guerra e aprende muito sobre a história do Rio. Tudo isso a bordo de um rebocador centenário, pagando nada mais de R$20 (R$10 pra estudantes, pessoas com menos de 12 e mais de 60 anos).

Rebocador Laurindo Pitta

O Rebocador Laurindo Pitta é esse barco aí que foi construído em 1910 e é a única embarcação da Marinha Brasileira que serviu na Primeira Guerra Mundial e que funciona até hoje. Ele foi adaptado pra ser um navio turístico e tem assentos pra 90 passageiros, além de um compartimento com uma exposição sobre a participação da Marinha na guerra. É interessante pra quem gosta de história e deslubrante pra quem quer admirar a o paisagem. Dá pra imaginar as caras de bobos que os primeiros navegadores devem ter feito quando chegaram ali.

baía de Guanabara

Só tem um porém. Como conta a guia do Laurindo Pitta, em tempos passados, as águas tranquilas da Baía de Guanabara eram um berçário  de baleias, botos e golfinhos. Hoje, durante quase todo o passeio, você vai poder observar apenas espécies típicas locais como o peixe saco-plástico, o peixe garrafa pet, o peite pneu, o pote de margarina e muitas e muitas outras porcarias nadando soltas  numa água nada naturalmente marrom. Agora, sem brincadeira, é muito lixo na água. Mesmo. Dá  muita vergonha, além da vontade de olhar pro gringo do seu lado e pedir desculpa. Mas até por causa disso eu achei que foi um bom passeio. Saí de lá pesquisando projetos que ajudam a cuidar da baía e achei coisas interessantes aqui aqui.

A sujeira toda incomoda muita gente, tanto que um dos blocos de rua do carnaval carioca 2014, chamado Que Merda é Essa (rs), até usou a imundice do lugar como  enredo do samba. E ficou ótimo. Procurei a letra pra colocar aqui e não achei de jeito nenhum. Se alguém souber onde tem, me conta.

Tudo isso é pra dizer que, se você animar fazer o passeio, tem que se preparar pro anticlimax que vem junto com  lixo batendo no casco do barco.  Na hora eu não quis tirar foto (me arrependi porque seria importante ilustrar). De qualquer jeito, achei que essa vista aqui valia mais o registro. Ó:ilha fiscal

passeio de barco rio de janeiro

 Viu? Se você também acha que o passeio vale a pena, é só aparecer no Espaço Cultural da Marinha, que fica na Avenida  Alfred Agache, s/n, próximo à Praça XV, no Centro do Rio.  O Laurindo Pitta sai de quinta à domingo, em dois horários: 13h15 e 15h15. Se você puder, vá no da quinta que é obviamente bem mais vazio. Os ingressos só são vendidos no local e a bilheteria abre as 11h da manhã. Entre a compra do ingresso e a hora do passeio, você pode dar uma voltinha pelo espaço, conhecer um outro naviozão de guerra que fica atracado logo em frente, entrar na Galeota Don JoãoXI que é uma “minicaravela” do século XIX e no Submarino Riachuelo.

Espaço Cultural da Marinha

Ah! Do Espaço Cultural da Marinha também sai o um outro passeio pra Ilha Fiscal que eu ainda vou fazer pra contar como é.

Fim.

: )

 

Um dia na Prainha

Vamos fazer jus ao nome desse blog e começar de verdade a temporada de posts cariocas falando de uma praia que poucos turistas conhecem? Siiiim.

Então, chega mais e bora pra Prainha. Ela é uma praia pequena (jura?) com um paredão de floresta enorme atrás, pedras aletóreas espalhadas pela areia que servem de enfeite e de esconderijo nos momentos de sol impiedoso e um mar quase sempre bom pra quem gosta de pegar onda.

prainha rio de janeiro

Um viajante padrão raramente inclui a Prainha no roteiro de coisas pra fazer no Rio. Na verdade, muita gente nem sabe que ela existe e há boas razões pra isso. Aqui ó:

1. É longe pra caramba – quando eu digo longe, é longe da Zona Sul, que é onde praticamente todos os turistas se hospedam. É lááá depois do Recreio.

2. É difícil chegar pra quem não está de carro – fica numa área de preservação ambiental, o que quer dizer que não tem casas, não tem comércio, além dos dois quiosques e do restaurante, então não tem ônubus nem táxis dando sopa por lá.

3. Não é um passeio icônico – é um bônus. Eu não recomendaria pra alguém que vai passar poucos dias no Rio, porque a cidade tem coisa demais pra ver e a Prainha demanda um dia inteiro só pra ela. Mas se você estiver com tempo sobrando, vale muito a pena fazer uma viagenzinha dentro da sua viagem e ir até lá pra conhecer.

Prainha rj

Fui pra lá há alguns dias, numa quinta-feira de folga. Mesmo no alto verão, tinha pouca gente, o que fez com que ela ficasse ainda mais diferente das praias lotadas e agitadas do Rio.

A melhor coisa é chegar cedo, curtir a manhã e na hora do almoço pedir um filé de peixe caprichado no restaurante que eu não sei o nome. Ele fica escondido no canto da praia, mas não tem erro porque é o único que tem. Depois você pode dar uma passeada no parque que tem lá do outro lado da rua e fazer uma caminhadinha no mato ou voltar pra nadar/ jacarezar na areia eternamente até o sol se pôr.

restaurante

Aliás, na Prainha não tem energia elétrica, então quase todo mundo vai embora junto com o sol. Aí fica você na companhia da lua e das estrelas, olha que romântico. Só que nem tanto. Poderia ser uma experiência bem legal, mas sempre sobram umas pessoas ali, outras aqui e não tem muito jeito de ver direito a cara delas no escuro, então devo confessar que me dá um medinho de ficar depois de a noite cai.

Ah! Tem uma torta de banana caprichadíssima no primeiro quiosque, que eu provaria se eu fosse você.  No parque e numa espécie de posto ao lado do estacionamento tem banheiros e chuveiros de água doce pra você tirar o sal do corpo antes de ir embora.

Prainha Rio de Janeiro

E aí? Que tal a Prainha?

Se deu vontade de conhecer,clica aqui que tem instruções sobre como chegar.

mapa prainha rop de janeiro

: )

Tagged , , , ,